As mecânicas incriveis de Doom (2016)! - É Tudo Biscoito

Breaking

terça-feira, 26 de junho de 2018

As mecânicas incriveis de Doom (2016)!

Doom é um dos melhores e mais importantes jogos lançados nessa geração, o game leva em consideração tudo aquilo que fazia tanto o jogo original quanto o próprio gênero serem são importantes e divertidos no passado e dá uma repaginada incrível.


O foco do jogo é em manter o jogador atirando, Doom não quer que você se esconda atrás de uma barreira e espere sua vida recuperar sozinha, ele quer te ver indo atrás do inimigo sem piedade, e o jogo cria algumas situações bem inteligentes pra que isso aconteça. 

Primeiro a velocidade do movimento, inspirado pelos jogos originais da série o movimento do Doomguy está sempre na quinta marcha, atravessar o cenário verticalmente também não é problema, enquanto Doom 3 sofria com os defeitos de muitos FPS que tentavam colocar elementos de plataforma, aqui a mecanica de se "agarrar" as beiradas de plataformas para subir nelas transforma essa tarefa em uma coisa bem simples, e pode criar situações interessantes de combate.


O combate é o foco, claro, e como no original o novo Doom trás uma variedade de armas com os mais diversos tipos de uso, para perto e longe, cada uma com vantagens e desvantagens para os diversos tipos de inimigos. 

Os inimigos aqui são os mesmo vistos em Doom 1 e 2, cada um completamente reimaginado pra funcionar nesse caos de velocidade e sangue, o mais interessante aqui é que o único inimigo que ficou de fora foi o soldado, isso porque ele costumava atirar como um soldado do Call of Duty atira, se você estiver no campo visão dele quando atira, ele te acerta, essa mecânica é a responsável por influenciar o jogador a procurar lugares para se esconder antes de atacar, e Doom joga essa mecânica pela janela. Todos os inimigos aqui atiram projeteis que podem ser desviados, isso faz com que o movimento seja constante, a atenção aos inimigos e se posicionar para seu próximo ataque.


Outra atualização fica para a mira, os clássicos como não possuíam o controle da mira por mouse/analógico, permitiam que você acertasse qualquer inimigo contanto que ele estivesse em seu campo de visão, o novo Doom olha pra outro grande FPS pra adaptar isso direito e usa a mecânica de mira de Halo, que apresenta uma mira enorme na maioria das armas (ainda existem aquelas miras tradicionais em algumas armas secundarias), o que torna mais prazeroso de mirar e atirar, principalmente em consoles, até porque precisão não é exatamente o foco aqui.

Talvez o maior ponto positivo do jogo é o sistema de vida dele, estamos de volta com uma "barra de vida", cada tiro vai comendo essa energia, chegou no 0 é game over, porém o único jeito de recuperar vida é jogar agressivamente, que é o foco do game design do jogo. As finalizações são a maior novidade nesse aspecto, dependendo da energia do inimigo você pode usar o botão de ação para iniciar uma finalização brutal, a animação é um destaque aqui para os olhos, dependendo até mesmo da posição onde você inicia esse ataque você ganha uma finalização diferente. Claro que tudo isso é o prêmio pra você jogador, além desse momento de vitoria você ainda ganha como bônus encher sua barra de vida e continuar no jogo indo de um inimigo pro outro.


Assim o jogo incentiva o jogador a uma jogatina agressiva, que acompanha a trilha sonora, o visual e toda a atmosfera criada pelo jogo, e cara é sensacional ver música e gameplay afinados para um só objetivo, o design desse game é simplemente incrivel.

Vamos citar mais alguns pontos, a historia é um grande fanservice, cheio de referências aos anteriores e criando toda uma mistica quanto ao Doomguy, você é evocado de novo para a batalha quando alguém abre os portais do inferno, o jogo é um misto de Doom 1 e Doom 3 nesse aspecto, porém o Doomguy tá pouco se lixando pra tudo isso, sempre que algo sobre o lore aparece você sai quebrando tudo e quer mesmo é se livrar desse inferno, isso fica mais claro logo no inicio, quando uma IA vai te contar sobre o que está acontecendo, e o nosso protagonista simplesmente quebra o PC onde ele está falando sem nem se lixar. 


Também poderia falar sobre pequenos aspectos como a evolução das armas, você vai ganhando novas habilidades pra cada arma que modifica um pouco o jeito que você usa e você vai adaptando à sua forma favorita de matar demônios. Mas isso já são aspectos que vale mais a pena sair e jogar você mesmo, resolvi falar um pouco sobre as incríveis mecânicas de Doom após esse anuncio da sequência, que vai ter gameplay revelado na Quakecom, enquanto esse é um "remake" de Doom 1, acredito que vamos ter um "remake" agora de Doom 2, isso porque os demônios vem pra Terra do mesmo jeito que acontece no D2, mas estou divagando.

O importante é que se você curte FPS não pode perder esse jogo, vai lá aproveitar agora deve estar baratinho em alguma promoção, e disponível em todas as principais plataformas atualmente (Até o Switch tem)!

Nenhum comentário:

Postar um comentário