Critica: Alien Covenant - É Tudo Biscoito

Breaking

domingo, 21 de maio de 2017

Critica: Alien Covenant



É difícil escrever essa critica, não só por ser a primeira do site mas também pela incrível vontade de ver novamente um filme divertido e assustador do Alien... e sair decepcionado do cinema.


Covenant repete todos os principais erros do seu antecessor Prometheus, com um bando de personagens sem evolução na trama, tomando decisões idiotas em um roteiro completamente previsível, que quanto tenta dar algumas reviravoltas te deixa com uma sensação de 'putz, serio isso mesmo?'



No filme temos uma nave colonizadora viajando para um planeta muito distante para estudar e tentar começar a vida por lá, são duas mil pessoas em hiper sono além de fetos, e claro, nossa tripulação principal de 'nobres baixareis' que estudaram pra cuidar da nave, todos eles são casais, e seu android, outro modelo de Michael Fassbender em uma excelente atuação.

Enquanto todos estão dormindo, a nave passa por um acidente que faz com que o androide tenha que acordar a tripulação, após resolverem o incidente e recauchutarem a nave, eles encontram uma transmissão espacial que os leva a encontrar um planeta muito próximo de onde estão, e que também pode ser habitável, incluindo uma atmosfera terrestre, e resolvem então encurtar sua viagem e conhecer aquele planeta no lugar.

A partir desse ponto desembocamos em diversos elementos familiares de Alien, o 'distress call', encontrar uma nave estranha pra investigar e os estereótipos comuns dos personagens da tripulação, o cara durão, a mocinha assustada, o crente, etc e tal.



O inicio do filme é interessante, novamente temos o tema do homem em busca de seu criador, que era tema de Prometheus, e o homem procurando aumentar sua vida e sua espécie, que é o tema geral aqui. A protagonista começa interessante também, pois após o acidente seu marido morre, e ela é a única da tripulação que está sozinha, e passa a acompanhar então o androide.


Porém ao chegar no planeta, quando o filme parece engrenar pra tensão clássica de Alien, é que ele se enrola, logo começam a aparecer os primeiros monstros, e um verdadeiro espetáculo de burradas, decisões estupidas são o que movem o roteiro, e os personagens deixam de evoluir para serem meras caricaturas de si mesmos. As cenas com o Xenomorfo e suas evoluções e nascimento são muito mais gores, e com bastante uso de efeitos práticos, o que é sensacional, há também e um confronto de ideias entre David, o androide do filme anterior, seu modelo novo e a tripulação, mas é a partir desse ponto que vemos que o filme realmente não é muito sobre o Alien em si, mas nas ideias de David e sobre o que ele quer fazer.



O Alien é um mero obstáculo na vida dos protagonistas, e como sua criação já foi explicada no filme anterior, Covenant mostra apenas como ele chegou a ter a forma que conhecemos em 'O 8º passageiro', a tensão gira em torno dos androides e de como eles observam o mundo ao seu redor, o que é... fraco.

Alien Covenant é um filme muito bem dirigido, as cenas de tensão ainda funcionam bem, e com excelentes atuações de Fassbender e boas atuações em geral de todos da tripulação, mas me parece que eles só fizeram o que podiam com o roteiro pretencioso mas fraco que lhes foi dado, o filme é cheio de bons momentso desperdiçados, e brinca de gore com o Xenoformo quando podia ter feito e mostrado muito mais. O clima do original está alí, mas faltou o terror, a tensão e fazer o espectador se importar com o que está acontecendo na tela.



Em geral, guarda a grana, e vai assistir Vida, que é igual, mas muito melhor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário